quarta-feira, 30 de julho de 2014

0

Nós amamos sapatos!! :) (parte 1)

Mulherzinha que é Mulherzinha ama sapatos.  Não importa se baixo, alto, altíssimo ou só uma rasteirinha.
Scarpin
O scarpin é o sapato feminino propriamente dito. Por definição, sapato é o calçado que esconde os dedos do pé e é fechado na parte de trás. O scarpin pode ter bico fino, arredondado chamado de "sapato de boneca" ou quadrado. Um scarpin deve ter salto. A medida é de no mínimo 4 cm, e se o salto for maior do que 10 cm, o scarpin passa a ser chamado de “stiletto”. O nome scarpin vem do italiano scarpino, é uma forma reduzida dessa palavra que significa sapato. Como na moda tudo retorna periodicamente, ela trouxe novamente aos pés das mulheres este clássico que foi popularizado no ano de 1947 por Christian Dior, que na época quis introduzir uma nova moda.

Sapato boneca ou Mary Jane
Calçado fechado, porém decotado (peito do pé aberto), bico arredondado, com tira (ou não) que transpassa de uma lateral a outra do calçado sobre o dorso do pé, por uma única fivela. Podem ser saltos médios, baixos e altos.

Chanel
Como o nome mesmo diz, este modelo foi criado por Coco Chanel na década de 60, com o intuito de diminuir seus pés. Hoje é um clássico, caracterizado pelo bico fino e fechado na frente e pela abertura na parte do calcanhar, presa somente por uma tira fina que continua até o bico. Os primeiros modelos eram bicolores, de bico escuro e restante claro, porém hoje os sapatos Chanel são fabricados em  diversos tecidos e cores.

Mule
O mule é um sapato feminino diferente, com características de outros calçados. Assemelha-se ao tamanco, pois é preso somente pela parte frontal, ao scarpin, pela sua parte frontal fechada e seus bicos mais finos e clássicos, e pode ser considerado uma variação do Channel. O mule eliminou essa correia, deixando os pés mais livres e arejados. 
Originado de um chinelo marroquino e muito popular na Turquia, aberto no calcanhar e fechado na frente. No século XVIII, as mules eram usadas baixas por homens e com saltinho pelas mulheres. Nos anos 40, ficaram conhecidos como "sapatos de quarto".
O apelo sensual da modelagem vestiu pés das pin-ups e estrelas de cinema nas décadas de 40 e 50. Como as babuchas, acompanharam a revolução hippie dos anos 70.
Babuche
Podemos dizer que este modelo é um parente do mule. A principal característica deste modelo é não deixar à mostra os dedos, mas deixando totalmente à mostra o calcanhar. O babuche geralmente possui bico arredondado, mas pode ter variações de bico fino e quadrado, porém diferente do mule, esse modelo não possui salto, em raros casos possui um salto mínino, ou elevação para dar a inclinação necessária ao modelo. Este modelo teve sua origem no Marrocos e teve seu auge na década de 1970, muito utilizado pelos hippies.
Alpargatas
As alpargatas são um tipo de calçado baixo, muito utilizado nos anos 70. A origem das alpargatas não é tão certa, mas sabe-se que são sapatos usados há muitos séculos pelos árabes. São calçados fechados rasteiros, confeccionados em lona e com sola em borracha ou corda. Com cara de verão, as alpargatas, além de frescas e confortáveis de usar, combinam com quase tudo e todos, já que são unissex. Por serem bem casuais e despojadas, elas sempre vão bem com roupas do estilo.
Chinelo
O chinelo é um tipo de calçado feito de borracha, PVC, couro, palha, tecido ou outro material. Possui o formato aproximado do contorno de cada um dos pés. A palavra "chinelo" vem do latim medieval *planella, de planus,-a,-um 'plano', talvez por influência do dialeto genovês cianella (it. pianella, dim. de piano 'plano'). Alguns chinelos apresentam uma tira, de largura variável, que passa sobre o peito do pé. Geralmente os chinelos são calçados de uso doméstico, durante os dias quentes, especialmente no verão, ou como acompanhamento do traje de dormir. Pode também compor parte do traje de banhistas, na ida à praia ou na beira da piscina. É um importante calçado no contexto de moda dia a dia, principalmente em cidades litorâneas e com clima quente. Suas principais características são os dedos de fora, sem salto (com salto seria uma sandália), e com ou sem tiras no tornozelo.
Rasteirinhas
Mais sofisticadas do que os chinelos, mas tão confortáveis quanto eles, as rasteirinhas são sandálias sem saltos e se tornaram escolha unânime para o verão das mulheres de cotidiano agitado. O modelo mais tradicional de sandália rasteira, aquele com tira entre os dedos e preso ao calcanhar, já era muito utilizado por povos da antiguidade, como os mesopotâmicos e os gregos. O mais parecido - em materiais - com o que as mulheres amam usar hoje em dia é datado de 72d.C e foi criado pelos judeus. Além de deixar os pés sempre fresquinhos, as rasteirinhas dão a sensação de segurança justamente por não dependerem de saltos para serem chiques e femininas, evitando incômodos e podendo ser usadas o dia todo. Quem imaginou que um calçado tão simples levaria as mulheres à loucura com aplicações de pedrinhas, strass e até acabamentos metalizados ou florais? Em cores quentes ou sóbrias, a rasteira é a peça-chave de qualquer look casual.
Tênis
Existem relatos de que os primeiros sapatos desportivos surgiram no ano de 1909. No ano de 1942 foi desenvolvida a primeira sola de borracha sintética. Com o passar dos anos, os tênis veio e vem ganhando diferentes estilos, cores e até acessórios. Tênis é bastante usado nos dias de hoje. Você pode usá-lo para praticar diferentes esportes, para sair à noite ou até mesmo durante as suas atividades diárias. Não se esqueça de procurar o tipo ideal para a prática de cada esporte. Atualmente os tênis tem característica direcionada para o treinamento que irá fazer. Com isso, você evita problemas, como por exemplo, futuras lesões. Existem vários tipos de tênis, específicos para varias atividades físicas e para o dia a dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© mulherzinhas s/a - 2016. Todos os direitos reservados.
DESIGN E PROGRAMAÇÃO por: TRIZZ DESIGN.
imagem-logo