quarta-feira, 4 de março de 2015

0

O mercado de moda - resumo

Bom dia, Mulherzinhas!
Vamos falar de moda?!
O desejo do consumo, a variedade de produtos e a mudança no comportamento do ser humano tem transformado o mercado de moda em um dos mais rentáveis. As pessoas querem ser cada vez mais únicas dentro de um todo. Vale tudo na hora de ostentar.  Segmentos básicos surgem a cada dia por conta da evolução do mercado e das culturas.
O segmento masculino é o menos abrangente visto que os homens passaram muito tempo sem se dedicar ao seu guarda-roupa. Atualmente este conceito mudou e já se desenvolveram outros segmentos como vanguarda, ginástica, esportes radicais e fashion. O homem passou a se preocupar com a sazonalidade, tendências e as novidades do mercado.
De acordo com Cobra (2007, p.23 e 24):
"A moda gera empregos porque é uma indústria, e como tal, obriga à renovação, ao consumo, e portanto a circulação de dinheiro. Quando um consumidor compra um terno, por exemplo, está movimentando a economia, atingindo um grande número de pessoas, desde o estilista até a faxineira da loja que comprou a roupa.  O negócio de moda tangencia as áreas de criatividade, produção, administração e Marketing. Para fascinar e emocionar as pessoas vale-se de conhecimentos oriundos da psicologia e sociologia. Seu estudo portanto é uma atividade multidisciplinar envolvente e desafiadora."

O mercado para adolescentes está em constante desenvolvimento. Os jovens estão começando a trabalhar mais cedo e adquirindo sua independência financeira, além do poder de escolha na hora da compra.

O jeans é uma matéria-prima que se encaixa em diversos tipos de produtos voltados para diferentes faixas etárias. A sua produção e comercialização vem se intensificando na busca por novos materiais e lavagens. Uma busca para agregar valor às peças.
De acordo com Dwyer e Feghali (2001, p.87) Especula-se que há um investimento médio de R$ 500 mil por ano para o desenvolvimento de uma nova calça jeans – do tecido à modelagem final. A renovação é constante. A evolução do jeans XX foi brutal: nenhuma outra roupa sofreu tantas mudanças e ganhou tanto valor simbólico.
A lingerie também é uma peça em destaque no mercado. Ela deixou de ser apenas uma peça utilitária, para se transformar em artigo de desenho, ganhando estilo, tendência e novas modelagens. O biquíni e a moda surf seguem o mesmo caminho do sucesso.
Por ser um país com belas praias e clima tropical, o Brasil produz hoje o que há de mais moderno e fashion no segmento de moda praia. A modelagem brasileira serve de referência para demais países. Marcas como Salinas e Água de Coco destacam-se no cenário mundial. O biquíni, entretanto, não foi inventado por um brasileiro, e sim por um francês em 1946, mas o “jeitinho brasileiro” conquistou as praias e piscinas do mundo inteiro.
Seguindo a tendência de nossos quatro mil quilômetros de praias, a moda surfwear vem ganhando espaço e se aprimorando. O segmento surgiu nos anos 70 de uma forma artesanal e hoje já possui inúmeras marcas.
Assim como os adolescentes, o público infantil está se tornando independente nas escolhas. Os pais que antes apenas levavam as crianças às lojas para provar as roupas, hoje já ouvem os pequenos decidindo o que vão levar. Os gostos variam da idade de dois a dez anos.
Segundo Dwyer e Feghali (2001, p.92) nas classes mais abastadas, os pais tem aberto a carteira para comprar peças mais caras, aumentando o faturamento das empresas do setor. O volume de produção também vem subindo, fato que mostra um crescimento de vendas entre fabricantes de produtos mais populares.
O mercado de acessórios tem grande importância no Brasil. Qualidade, design, matéria-prima natural e criatividade fazendo com que os produtos brasileiros tenham as portas abertas no exterior. É importante que o profissional que queira seguir esta área, busque uma especialização, afinal possui a mesma base de informação porém se diferencia na modelagem, manufatura, acabamento e outras técnicas.
O consumidor está cada vez mais informado, mais exigente e com desejo de compra. Existem segmentos para todas as áreas. Basta você se especializar em uma delas e empreender. Nichos de mercado são formados por consumidores qualificados, ou seja, que são mais exigentes quanto ao conceito do produto e sua cadeia produtiva.
Em entrevista ao site Epoch Times (http://www.epochtimes.com.br/), a consultora de moda Geni Rodio explica que a moda é ampla, vai além do modelo da roupa e está estreitamente ligada à economia. “Eu costumo dizer muito isso, que é muito importante que a gente tenha uma visão mais ampla do modelinho da roupa, sobre o que vai usar e o que não usar, até porque o que vai usar e o que não vai usar está muito mais ligado a quanto ela [a roupa] vai custar, do que qualquer outra coisa”, disse Geni.
Os segmentos alternativos como cama, mesa e banho também se adequaram a conceitos e tendências.
O infográfico do IBOPE nos dá um resumo desses acontecimentos:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© mulherzinhas s/a - 2016. Todos os direitos reservados.
DESIGN E PROGRAMAÇÃO por: TRIZZ DESIGN.
imagem-logo